X

O Pecado de Jonas

O relato de Jonas sempre me chamou a atenção, devido ao enorme peixe, a história ficou muito popular, inclusive no meio secular. Eu ouvi de Jonas mais de 20 vezes na minha vida, quando lia o livro, encontrava-me cega por meu orgulho e prepotência, pensando “já li isso”, “existem milhares de pregações que já assisti”, “até fora do meio cristão já ouvi”, no entanto percebi que embora tivesse lido e ouvido múltiplas vezes, poucas foram as que eu ouvi Deus falar comigo. O que vou compartilhar é sobre o pecado e coração de Jonas, o terrorismo cristão e o amor

“Levanta-te, vai à grande cidade de Nínive, e clama contra ela, porque a sua malícia subiu até à minha presença. Porém, Jonas se levantou para fugir da presença do Senhor para Társis. E descendo a Jope, achou um navio que ia para Társis; pagou, pois, a sua passagem, e desceu para dentro dele, para ir com eles para Társis, para longe da presença do Senhor” Jonas 1:2-3.

O relato de Jonas começa com um chamado de Deus à disposição. Eu sempre ignorei isso, até que dessa vez quando cheguei ao fim da história eu entendi como fazia sentido. Para quem não sabe, alguns estudos históricos contam que Nínive era uma cidade pagã, cruel e violenta, onde era até possível encontrar pirâmides de crânios em suas ruas. Nos capítulos seguintes, pós peixe grande e arrependimento , vemos que Jonas percorreu EM 1 DIA, a cidade que deveria ser feita em 3!! A bíblia fala que, assim que foi deixado pelo peixe, Deus novamente o chamou e Jonas IMEDIATAMENTE OBEDECEU, mas ao ver como ele se portou em Nínive, me lembrei de algumas coisas.

Quando fazemos algo que nos é imposto ou pedido (louça ou prova) podemos fazer muito bem, levando o tempo necessário, podemos fazer enrolando de mau humor ou podemos fazer rápido, superficialmente e de qualquer jeito. Jonas pregou em 1 dia e se parar para analisar, nem foi uma pregação, foi mais para um terrorismo cristão. Ele não pregou: “arrependam-se e Deus lhes mostrará salvação”, “convertam-se de suas práticas pecaminosas e clamem a Deus”, a palavra diz que Jonas disse: “eis que daqui a 40 dias, Nínive será destruída”!

Isso me fez pensar bastante. Muitas vezes nos achegamos e tentamos levar os outros a Cristo através do terrorismo cristão, que é a palavra de condenação que nós estabelecemos ou fomos ensinados a isso. Mera tática humana que é utilizada quando tentamos fazer por nós mesmos o que o Espírito Santo faz, que é convencer e transformar pessoas. Mesmo assim o povo se arrependeu e jejuou e Deus cessou sua ira. (Apesar do fato de que, em outros livros, há o relato que posteriormente ela foi destruída).

Jonas ao ver a decisão de Deus ficou muito irado e disse a Deus que não queria pregar porque sabia que Deus era bom, e falou que preferia morrer. Qual foi o pecado de Jonas? A gente pensa que foi o fato dele não ter ido imediatamente a Nínive, mas Deus é um Deus que nos ama tanto que queria tratar algo muito mais profundo. Deus sabia que Nínive se desviaria novamente e que ela seria destruída, mas era em Jonas que Deus queria gerar transformação. Jonas tinha um coração indisposto e cheio de autojustiça. Ele deixava seu temperamento e seus sentimentos tomar conta de suas atitudes, encontrando-se melancólico diante das coisas que ele não podia fazer.

Lembra quando o barco estava afundando? Jonas estava dormindo. Ele era a razão do problema, mas ele sequer se importava. Nem preocupou-se com seus companheiros de embarcação, mas mesmo assim, Deus foi glorificado através da vida dele. Parece agora que Jonas era bem ruim, mas se buscarmos entender o coração de Deus, percebemos que somos como Jonas. Iguais.

A bíblia fala que Jonas se isolou pra se consolar sozinho e Deus em sua bondade fez uma planta crescer para lhe dar abrigo, Jonas ficou super feliz, mas quando Deus secou a planta e o calor do sol o afligiu, Jonas quis morrer novamente. Deus então fala: “Tiveste tu compaixão da aboboreira, na qual não trabalhaste, nem a fizeste crescer, que numa noite nasceu, e numa noite pereceu; E não hei de eu ter compaixão da grande cidade de Nínive, em que estão mais de cento e vinte mil homens que não sabem discernir entre a sua mão direita e a sua mão esquerda, e também muitos animais?” Jonas 4:10-11.

Olha como Deus é profundo e quer nos alcançar com seu amor! Deus não queria que Jonas estivesse simplesmente servindo e “cumprindo seu chamado” , Deus termina a narrativa dizendo a Jonas que o que Ele deseja é gerar amor. Jonas não gostava do povo de Nínive, talvez até os odiasse, mas ele estava servindo. Servindo sem amar a cidade. Quantas vezes nós não somos assim? Quantas vezes este não é o nosso coração? Estamos servindo sempre, buscando em obediência cumprir o nosso chamado, mas não amamos a Deus, as pessoas e a igreja que ele nos confiou.

Sabemos amar nossas coisas, nosso dinheiro, nossos cachorros, nossas plantinhas mas não conseguimos amar outro ser humano. A bíblia fala que se não amamos os irmãos que vemos, como diremos que amamos a Deus, a quem não vemos?! Que em nossos corações haja sempre um real clamor e arrependimento, para que Deus venha nos encher com seu Espírito e seu amor e que o que recebermos flua e transborde de nós para os outros. O livro de Jonas termina com uma pergunta, a qual Deus diariamente nos convida a responder. Será que temos amado e recebido desse amor?! Que o Espírito Santo, que nos ensina TODAS as coisas fale em nossos corações.

Devocional escrito por Lillian Ng.

Tags:

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *